segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Estou de mudança!

Resolvi criar outro blog porque minha escrita mudou muito e reformar tudo isso aqui seria trabalhoso demais. Espero que vocês continuem me acompanhando por lá.
Clique aqui para acessar meu novo endereço. Sinta-se em casa.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Egoísmo

— Eu não quero que você me esqueça! É isso, porra! Eu sei que repeti milhares de vezes que não dava a mínima, mas foi por não poder admitir isso nem pra mim mesma. Essa é a primeira vez que eu estou falando isso em voz alta e já me arrependi, mas o que eu posso fazer? Agora já foi. Eu não quero que vocês fiquem juntos porque eu sou uma desgraçada, egoísta e egocêntrica que, apesar de saber que a gente nunca poderia dar certo, não quer que você se apaixone por ninguém. Não, eu não tô tentando voltar com você. Justamente por causa disso, eu tenho certeza que você vai ficar com ela. Ou não, talvez você berre comigo, dizendo que eu sempre te decepciono, que você não é esse tipo de cara e que você não me entende. Mas eu nunca pedi pra você me entender e também não sei me explicar. Não tem motivo nenhum pra eu estar falando tudo isso uma vez que não vai mudar porra nenhuma, é, eu sei, não vai mudar porque eu não quero que mude, porque eu nunca quero nada. Eu nunca te falei isso, mas você tá certo. Só não diz que a gente não dá certo porque eu não quero que dê. Você sabe que não é verdade. Ficar longe de você é não é bom, mas ficar perto é pior ainda. Ficar perto de você me sufoca. Quando a gente tá longe, trazer você pra perto de mim sempre passa pela minha cabeça, mas é eu fazer isso e ter vontade de te empurrar. Você vai dizer que eu sou louca e dessa vez eu não vou negar.
Olha, me desculpa. Eu não sei onde eu tava com a cabeça, não devia ter falado nada disso. Foi só mais uma das minhas diversas crises de insanidade, mas já passou. Esquece tudo o que eu falei. Ela vai ser muito melhor pra você do que eu fui, sério, eu sei que você pensa que eu sou a garota da sua vida, mas não sou. Ela é a certa pra você. Ela não vai te fazer chorar como eu fiz. Quer dizer, não dá pra afirmar nada, mas eu duvido muito. E eu também tenho quase certeza que ela vai se esforçar para agir de um modo que satisfaça vocês dois, coisa que eu não fiz, e que ela não vai duvidar de você. Desculpa de novo, espero que vocês sejam felizes juntos, e caso você não seja esse tipo de cara, bem, não é da minha conta (porque eu não quero que seja, mas esse assunto já foi encerrado).

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

talvez seja cedo

eu sei que talvez seja cedo,
mas segura a minha mão
e não solta mais
eu sei que talvez seja cedo,
mas deixa eu me sentir segura
aninhada nos seus braços
eu sei que talvez seja cedo,
mas a gente sabe
que não é.
você é o remédio da minha doença
pois foi você quem a causou
mas você está e vai continuar
fora do meu alcance
e mesmo assim
eu sou e vou continuar
ávida
de ter você pra mim.

Culpa.

Eu não sei por que ainda coloco a nossa música pra tocar, ou melhor, por que ouvi-la ainda me machuca. Eu deveria ter o direito de ouvir a música que eu quiser, ler a frase que eu quiser, enfim, fazer o que eu quiser sem me lembrar de você sem que essas coisas abrissem a ferida que já deveria ter se cicatrizado, não deveria? Eu não sei por que ainda estou aqui sendo que eu sei que você não é mais a pessoa por quem eu me apaixonei. As minhas esperanças morreram quando me dei conta de que você é um erro que eu não tenho a capacidade de concertar, e eu acho que acabei morrendo com elas. Mais do que sentir a sua falta, eu sinto a minha falta. Eu sinto a falta de quem eu era antes de você me deteriorar. Sinto falta de quando eu não te conhecia. De quando eu acreditava que, para esquecer alguém, bastava querer que isso acontecesse. Tem gente que acha que eu não quero, mas só porque nunca sentiram o mesmo que eu. Que tipo de pessoa não ia querer de verdade esquecer uma pessoa que me deixou desse jeito? Nem mesmo masoquistas suportariam gostar de você. Porém, a culpa de eu não saber te fazer querer ficar não é sua. Nem minha.
Mas eu queria com todas as minhas forças ter conseguido fazer isso, e a culpa é toda sua.
O som aconchegante da tua risada e da tua voz dizendo que me ama ecoa no silêncio do meu quarto. A saudade inexplicável e incessante que eu sinto de quem você era ferem sem pudor o vazio do meu coração. Olho no espelho e não me reconheço mais; você tomou o brilho dos meus olhos no momento em que foi embora. Você me danificou de uma maneira que eu não desejo para ninguém; me transformou em uma pessoa incompleta, opaca e que nunca vai saber seguir em frente de verdade uma vez que é impossível deixar de buscar em outras pessoas a sensação única que eu sentia quando estava com você… Mas seu medo de amar nunca vai permitir que você se sinta da mesma forma que eu. Sorte sua.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Final infeliz.

— Alô?

— Oi… Olha, eu sei que é estranho ver o meu nome no visor do seu celular, especialmente depois do dia em que eu te disse pra não me procurar nunca mais. Por favor, não fala nada até eu terminar, porque senão eu não vou conseguir. Fiquei sabendo que você tá de casamento marcado. Quem diria, hein? Eu pensei que fosse demorar um pouco mais pra você chamar outra menina de noiva. Eu sei que já faz quase um ano que tudo aconteceu, mas ah, você sabe, né. Enfim, eu desejo que você seja feliz, de verdade, e espero que ela também goste de club social e que isso nunca falte na casa que você dividirá com ela, exatamente como a gente tinha combinado quando era eu no lugar dela, você lembra? Vou te dar uma dica: se você não souber o que dizer quando ela não estiver bem, apenas a abrace. É que o seu abraço dispensa palavras, funciona como uma anestesia sem a picada. Ai, droga. Eu prometi que não ia chorar, porque a minha voz fica ainda mais estranha e principalmente para que tudo isso não ficasse ainda mais patético, mas você sabe que eu não consigo segurar o choro por mais de cinco segundos. Eu queria que você soubesse que eu não te culpo. Eu sei que você não se importa, mas eu queria te deixar saber mesmo assim que eu sei que não foi por sua culpa que a gente não deu certo. Eu também sei que ter me feito de boba foi totalmente desnecessário e que isso, sim, é culpa sua, mas as pessoas cometem erros, e eu acredito que o meu pior foi ter deixado o sentimento que você tinha por mim se desvanecer, já que eu não soube e ainda não sei lidar com as consequências que isso causou. Eu te amei demais e ainda amo, mas o problema é que há um ano eu não sabia amar, e não posso de jeito nenhum te culpar por esperar que eu soubesse até porque você merecia uma menina que saiba, assim como a sua noiva. Talvez eu conseguisse te amar do jeito certo agora, mas já é tarde demais; eu sei, você sabe, todo mundo sabe.

— Ei, eu sinto muito, mas eu a am… — Ela o interrompeu, porque apesar de ter plena consciência de que o que ele pretendia dizer era verdade, não aguentaria ouvir isso da boca dele.

— Não, eu sei. A nossa história acabou há muito tempo e não foi com um final feliz. Eu sei.