sexta-feira, 29 de julho de 2011

Um dia.

Sabe, você não era o meu mundo. E eu nem tô triste porque você foi embora. Eu tô triste porque eu pensei que eu fosse o seu mundo, mas percebi que não. No final das contas, você nem precisa tanto assim de mim. Isso se você definitivamente não precisar de mim, nem um pouquinho. Eu tô triste porque, quando eu disse para você ir embora, você foi. Simplesmente foi. Deu as costas, e foi. Agiu como se ir embora fosse a coisa mais natural do mundo, embora chegasse perto disso na minha vida. Aliás, sair da minha vida é tão fácil, né? Você foi e não disse nada. Não pediu pra ficar. Não reclamou. Não bateu o pé. Não ficou mal. Não disse que precisa de mim. Apenas foi. Foi de uma maneira que praticamente jogava na minha cara que eu nunca signifiquei nada para você, não de verdade. E isso dói. Não dói porque você era tudo para mim, mas dói porque eu pensei que fosse tudo para você. Pensei que fosse especial. Pensei que você se importasse de verdade. Você fazia eu me sentir assim... Especial, importante. Mas é assim mesmo, não é? Eu não passo de um nada para as pessoas. Não tenho capacidade para isso. Sou a pessoa que está no nível mais elevado da insignificância. Não nasci para fazer diferença na vida de ninguém. Infelizmente, não. Mas um dia eu aprendo a lidar com isso. Um dia a gente acaba se acostumando, né? Um dia.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Me desculpa.

Me desculpa por ter te amado tanto, me desculpa por ter deixado você brincar comigo, me desculpa por ter perdido milhões de noites chorando por você, e me desculpa por ainda me lembrar de tudo o que nós fomos um dia. Me desculpa por ter voltado para você quando eu deveria ter ido embora, me desculpa por ter te dado milhões de outras chances para você me decepcionar, me desculpa por ter me importado tanto com você, me desculpa por um dia ter achado que a gente poderia dar certo… Me desculpa por todos os sorrisos e lágrimas que você me causou, me desculpa por ter lutado por nós dois, me desculpa por ter insistido em você, me desculpa por ter acreditado em todas as suas mentiras. Me desculpa por ter perdoado todos os seus erros, me desculpa por todas as vezes em que eu disse que sentia a sua falta, me desculpa por todas as vezes em que eu não soube o que fazer. Me desculpa por ter sentido meu coração despedaçar quando eu percebi que não fazia diferença, me desculpa por ter chorado quando eu me dei conta de que o menino doce que existia em você nunca mais iria voltar. Me desculpa se eu fui o motivo de você ter se tornado tão estúpido a ponto de brincar com sentimentos, me desculpa por eu ter demorado perceber que nós nunca voltaríamos a ser felizes juntos. E me desculpa, mais uma vez, por ter te amado tanto… Me desculpa por tudo isso, já que você insiste em dizer que a culpa foi toda minha. E me desculpa por estar me desculpando, sabendo que era você quem devia se desculpar.

sábado, 16 de julho de 2011

I (don't) want you back.


Oi, eu queria te dizer que não, eu não sinto a sua falta. Eu sei que eu costumava correr até você e dizer o contrário, mas você mudou muito, não é? E definitivamente não vai voltar a ser o que era antes. Eu perdi muito tempo te dando segundas, terceiras, quartas, quintas chances… E isso foi porque eu realmente esperava que você voltasse a ser aquela pessoa que me deixou completamente apaixonada, e você dizia que ia mudar. Você dizia que ainda me amava, mas era mentira… Quando o “antigo você” morreu, o amor que você sentia o acompanhou. Mas, pensando bem… Eu também não amava você. Eu amava quem você era. Sabe, eu não gostava nem um pouco de passar noites e noites chorando por sua causa, muito menos de saber que você não dava a mínima para isso. Eu também não me divertia nem um pouco com a estupidez e ignorância que você adquiriu. Você nunca se importou de verdade com as feridas que causou, não é? Não precisa responder… Eu sei que não. E eu sabia que os seus olhos não brilhavam mais quando encontravam os meus, mas eu tinha esperança de que eles voltassem a brilhar. E você jogava na minha cara o tempo todo que isso não iria acontecer, e quando eu estava decidida que iria te esquecer, você voltava… E dizia que se importava e várias outras coisas bonitas só para me fazer ficar, porque eu sempre ficava. Lá no fundo, eu sabia que nenhuma palavra que você dizia era sincera, mas eu continuava ao seu lado, mesmo quando você me empurrava, porque eu queria acreditar que ainda restava em você algum pedaço daquela pessoa que realmente me amava. E quando eu percebia que não, eu desejava com todas as minhas forças não te amar mais e jogar na sua cara que você teria de encontrar outro brinquedo. Desejava com todas as minhas forças que você se sentisse terrívelmente mal quando percebesse que tinha me perdido, assim como eu me sentia todas as vezes em que percebia que a pessoa que eu realmente amava não iria voltar. Mas agora que tudo isso passou, agora que eu realmente não te amo mais, eu não desejo que você sofra, apesar de tudo. Muito pelo contrário, eu desejo que você seja feliz, sabia? E eu até desejo que, um dia, você aprenda a amar de verdade uma pessoa que não seja você. Apesar de todo o sofrimento que você me causou e deve estar causando para muitas outras garotas, no final das contas, quem vai sofrer mais será você mesmo. Porque eu encontrei uma pessoa que me fizesse feliz, e com certeza vai acontecer o mesmo com essas garotas, mas… e você? Como vai ser feliz, se não souber amar ninguém?