segunda-feira, 26 de março de 2012

Perdi.

Eu queria poder dar uma pausa na minha vida pra tentar organizar essa bagunça toda. Mas o tempo não para, e eu vou ter que ir fazendo tudo aos poucos; seguir em frente aos poucos, esquecer aos poucos, desistir aos poucos. E ser obrigada a me desprender de você aos poucos é a mesma coisa que morrer lentamente. E não me desprender de você, também. Eu queria levar o tiro de uma vez só pra não doer tanto, mas não tem jeito, não tem essa opção. As duas escolhas que eu tenho resultam em tortura. Você é a pessoa mais complicada que eu conheço e eu nunca me vi tão apaixonada por complicações. E é isso. Eu sou apaixonada por você. E o que eu sinto é bem maior do que a sua estupidez e imaturidade, embora você não saiba disso. Daqui mais ou menos uma semana, a gente completaria 5 meses e ninguém sabe o quanto essa data consegue me ferir. Você não deve nem fazer ideia de quanto tempo faz enquanto eu andei contando até os minutos longe de você. E aquele beijo que você me deu no começo desse mês me encheu de esperanças para nada, para daqui alguns dias completar um mês de uma chance desperdiçada. Ontem eu tive que me segurar para não te falar coisas demais… Você tem noção do quanto machuca falar com você e não poder dizer o que eu realmente preciso? Cada atitude sua me deixa cada vez mais confusa, e essas confusões me cansam demais, porém, não faço a mínima ideia de como escapar delas. E aí eu lembro dela, a menina que entrou na sua vida um mês depois de você sair da minha. Ela é tão melhor que eu… Não tem os meus defeitos e possui, sem dúvida, mais qualidades. E, mesmo assim, você foi embora também. Agora, uns dois meses depois disso ter acontecido, já tem outra. E eu quero me trancar no quarto e chorar horas seguidas de novo, porque perdi você pela quarta vez. E chorar também porque na época em que você fazia questão de ficar, eu que fui embora. E eu me pergunto todos os dias como é que teria sido se eu não tivesse ido. Se você ainda estaria aqui, ou se teria ido embora do mesmo jeito, porque eu só sei errar… Droga, eu não queria ter que desistir de você. Eu não sei fazer isso. Tentei evitar o quanto pude, mas agora essa é a única saída, de certa forma. E eu não posso mais me segurar na gente. Não aguento mais. Não consigo mais. Eu sou fraca, desculpa. Era você quem me fazia forte, mas você não está aqui agora. Eu só queria que as lembranças me deixassem. Mas seus fantasmas estão em todos os lugares e eu não descobri como mandá-los embora ou se tenho forças para fazer isso… Só espero que um dia eu consiga ficar bem de verdade, mesmo que você não faça parte disso como eu esperava.

terça-feira, 13 de março de 2012

Falta.

Ainda é e sempre vai ser você. Não quero que isso mude e reconheço o tamanho da minha burrice por pensar assim. Saber que tudo isso é um erro e persistir nele… A verdade é que eu não sei substituí-lo, e quando você sorri pra mim, eu sinto como se isso fosse impossível. Às vezes, quando olho rapidamente em teus olhos, enxergo a mesma saudade que os meus carregam; porém, não posso dizer que estou certa disso, afinal, é como dizem: o amor é cego e eu não sou capaz de enxergar nada além da doçura do teu olhar. Ontem seria nosso aniversário de quatro meses se estivéssemos juntos e você provavelmente não faz ideia disso. Felizmente ou não, você também não faz ideia de quantas vezes pensei em te procurar. Você não sabe porque enquanto eu passo a maior parte do tempo pensando em você, provavelmente nem sequer cinco minutos do seu são ocupados pelo meu nome. Toda vez que pego o meu celular, o faço inutilmente esperando que o aviso de uma mensagem sua esteja lá sabendo que você não tem vontade de mandar. Se eu ganho um sorriso teu, ganho também o dia e você deve achar engraçado caso perceba o controle que (ainda) possui sobre mim, não importa o quanto eu tente ignorar esse fato. E tento suprir a vontade de ir atrás de você escrevendo-te coisas que eu sei que nunca chegarão até você. Você não vai voltar, e eu não vou deixar de ser tua, esperando que alguma partícula tua ainda me pertença e sinta a minha falta.

Burrice ou paixão?

Toda vez que eu penso que vou finalmente esquecer, que tô aprendendo a superar, que vai começar a doer menos… Você vem e mexe comigo de novo. Qualquer coisa que você faz derruba todas as barreiras que eu consigo construir. O celular vibra e eu corro achando que teu nome vai aparecer no visor. Nunca é e eu continuo correndo. Mas as coisas são assim mesmo, não são? Eu sonho com o dia em que você vai me procurar… Você nunca procura, mas ainda assim permanece em meus sonhos, na minha mente, no meu coração. Permanece em todos os lugares, permanece em mim, só não ao meu lado e eu queria entender o porquê. Eu estou cansada de ver você indo embora toda hora. O principal obstáculo que me impede de esquecer você é o fato de que eu te amo demais para querer que isso aconteça. E, então, eu tento de todas as maneiras possíveis enganar a dor da tua ausência, já que prefiro que ela continue comigo a deixar de te amar. E eu sei que é burrice, mas me diz, como é que faz para esquecer aqueles beijos cheios de urgência que você me deu? Você bagunça a minha vida toda hora porque me faz pensar que vai colocá-la em ordem; coisa que só você pode fazer. Eu olho nos seus olhos e, por um instante, penso ter decifrado o que estava escrito neles, mas você sempre dá um jeito de me deixar com dúvidas… Eu queria tanto ouvir que o sentimento ainda tá vivo aí também, mas o medo de ouvir que ele é só meu sempre vence… Queria te perguntar o que você quer de mim, mas não consigo, e eu sei que você não vai dizer se eu não o fizer. Então continuo me torturando, dando dois passos para frente e três para trás por medo, sempre medo. Burra? Quem sabe, mas apaixonada me define melhor.

Deixe-me saber.

Lembro daquela vez que eu disse que te amava e você me perguntou se poderia acreditar nisso… E então eu disse que estava falando sério. E eu estava. Não sei se você lembra, mas eu prometi que nunca te esqueceria. E estou cumprindo a promessa, por mais que você não tenha certeza disso. Às vezes eu me canso, mas nunca vou embora; eu não sei ir. Eu não sei seguir em frente, só consigo ficar parada no mesmo lugar, esperando você voltar. Caminhando, porém, sem sair do lugar. Não importa quantas vezes eu bata o pé, insista em dizer que não me importo, eu nunca deixarei de ser sua. E se por um acaso você também não tenha deixado de ser meu durante esse tempo, por favor, me deixe saber. Mas não me venha com sinais incertos, eu quero ouvir da sua boca. Eu quero a certeza. Eu quero poder te dizer que quero você, e quero por inteiro. Mas você sabe que não darei um passo com dúvidas na minha mente. Então, se caso algo aí dentro ficaria feliz com esse passo, por favor, me deixe saber que você precisa dele. Se você precisa de mim, me deixe saber, para que eu possa dizer o quanto eu preciso de você. Só me deixe saber, o que quer que seja. Se você não se importa, também me deixe saber. Mas o faça olhando em meus olhos, com a voz firme. E se você se importa, também diga isso olhando em meus olhos e com a voz firme. Deixe-me saber… É tudo o que eu te peço, e espero que você possa atender esse pedido antes que eu enlouqueça.