segunda-feira, 28 de maio de 2012

Tarde demais

E a coisa que eu esperei por meses aconteceu: você disse que me queria de volta. Mas você deixou para fazer isso justamente quando eu não podia mais voltar. E, então, eu chorei. Chorei porque se eu não fosse tão orgulhosa, estaria em seus braços agora nesse exato momento e isso era tudo o que eu precisava. Chorei porque quis voltar mas sabia onde isso me levaria. Chorei porque eu te amo. Chorei porque pude escolher entre ficar ou voltar pra você, mas fui obrigada a optar por ficar. Chorei por todos esses porquês e mais alguns que desconheço. Chorei um choro quase tão longo e doloroso quanto o do dia em que você foi embora. Eu te amo, mas não posso seguir o meu coração quando o assunto é você. Eu sei que ia dar tudo errado de novo. Sei que não importa quantas vezes eu queira tentar, a gente nunca vai dar certo. E eu não ia aguentar te perder pela milésima vez. Eu quis dizer tudo isso pra você, mas não pude. Enchi o peito e disse que não, mesmo com o mundo inteiro sabendo que eu queria dizer sim. Conjuguei o verbo gostar no passado. Eu sou medrosa. E tive medo de baixar a guarda e você desaparecer de novo. Não importa o quanto eu tente, eu nunca vou tirar você de mim. Nem mesmo você, com todos os seus erros e defeitos, consegue fazer com que eu deixe de te amar. E o grande problema é que ultimamente você só tem acertado. Só tem feito tudo o que eu queria. E mesmo assim, chorei, porque não pude reagir como planejei. Sempre vou ser sua e eu nunca vou saber mudar isso. E não há coisa mais desgastante do que ser sua. Nunca vou ser completa com alguém por sua causa. Nunca vou parar de contar quantos meses fazem que a gente terminou e quantos a gente faria se isso não tivesse acontecido. Você ainda me dói tanto e nem faz ideia disso. E nem pode. Porque pela primeira vez, eu tô fazendo o que julgo ser certo. Tô ouvindo a razão. Tô sendo forte. Pela primeira vez, eu não voltei pra você. E mesmo assim, ainda dói. Porque eu não queria precisar ser tudo isso ou agir certo. Eu só queria você ao meu lado de novo. Mas não consigo tentar de novo, porque você resolveu aparecer justamente quando não restava mais nem um por cento de esperança em mim. E mesmo sem esperanças, eu ainda sou sua. A única coisa que espero é que uma parte sua também pertença a mim, e que você não se esqueça do que nós fomos um dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário