quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

I (still) love you.


E mesmo apesar de tudo o que aconteceu, de tudo o que você fez e de tudo o que você não fez, quando eu te olho, eu ainda sinto a mesma coisa. E quando eu não te acho, meus olhos ainda desejam desesperadamente encontrar os seus. E quando você vai embora, meu coração grita, pedindo para você ficar, mas você não é capaz de ouví-lo — e uma dor toma conta dele. Eu sinto falta do que costumávamos ser. Eu sinto falta de quando você fazia tudo por mim. Eu sinto falta de não ter motivos para duvidar quando você dizia que me amava. Eu sinto falta do seu abraço, dos braços que me anestesiam me envolvendo gentilmente. Eu sinto falta de você, do antigo você. Apesar de eu sentir que o sentimento continua aí, no seu coração, como continua no meu, algo está errado. E nós sabemos o que é. Mas você não é capaz de mudar isso. E você não sabe o quanto eu lamento por isso. Só não pense que eu te esqueci. Apesar da distância perturbadora que agora existe entre nós, eu ainda te amo, meu amor. E isso não vai mudar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário