quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Obrigada...

Obrigada. Queria te agradecer por tudo. Tudo mesmo. Até pelas lágrimas. Não por você ter agido com infantilidade, mas por me dar maturidade a partir disso. Obrigada por me mostrar que sofrer não vale a pena.
Você não tem noção do quanto eu gostava de ti. Tudo o que eu posso dizer é que gostava muito de você, ainda que muito seja uma palavra muito pequena para expressar a intensidade do que você me causava. Muito, muito, muito. E do teu perfume. E dos teus abraços. E do teu sorriso. E da tua risada. E do teu jeito desajeitado. Você foi a melhor coisa que eu tive e não tive ao mesmo tempo. Quando você era meu, eu não era sua; quando eu fui sua, você não era mais meu de verdade. Agora, não somos nada. E, graças a Deus, não me sinto triste ao pensar nisso.
Obrigada, menino. Obrigada por todos os sorrisos bobos que você me fez dar. Obrigada por me ensinar o que é ter a alma transbordando de felicidade e principalmente, obrigada por me ensinar o que é ser forte.
Eu não me arrependo de nada. Nem dos erros, nem da dor, porque tudo isso acabou me fazendo muito bem no final das contas. E isso de olhar para trás e me orgulhar de tudo é muito bom.
Eu me orgulho da gente. Eu me orgulho do que sou hoje por sua causa. Então, obrigada. Obrigada do fundo do coração. E desculpa por te gostar tanto e não saber fazer isso direito quando você sempre soube. Desculpa por ser toda errada, mas hoje, graças a você, eu finalmente estou tomando o caminho certo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário