segunda-feira, 26 de março de 2012

Perdi.

Eu queria poder dar uma pausa na minha vida pra tentar organizar essa bagunça toda. Mas o tempo não para, e eu vou ter que ir fazendo tudo aos poucos; seguir em frente aos poucos, esquecer aos poucos, desistir aos poucos. E ser obrigada a me desprender de você aos poucos é a mesma coisa que morrer lentamente. E não me desprender de você, também. Eu queria levar o tiro de uma vez só pra não doer tanto, mas não tem jeito, não tem essa opção. As duas escolhas que eu tenho resultam em tortura. Você é a pessoa mais complicada que eu conheço e eu nunca me vi tão apaixonada por complicações. E é isso. Eu sou apaixonada por você. E o que eu sinto é bem maior do que a sua estupidez e imaturidade, embora você não saiba disso. Daqui mais ou menos uma semana, a gente completaria 5 meses e ninguém sabe o quanto essa data consegue me ferir. Você não deve nem fazer ideia de quanto tempo faz enquanto eu andei contando até os minutos longe de você. E aquele beijo que você me deu no começo desse mês me encheu de esperanças para nada, para daqui alguns dias completar um mês de uma chance desperdiçada. Ontem eu tive que me segurar para não te falar coisas demais… Você tem noção do quanto machuca falar com você e não poder dizer o que eu realmente preciso? Cada atitude sua me deixa cada vez mais confusa, e essas confusões me cansam demais, porém, não faço a mínima ideia de como escapar delas. E aí eu lembro dela, a menina que entrou na sua vida um mês depois de você sair da minha. Ela é tão melhor que eu… Não tem os meus defeitos e possui, sem dúvida, mais qualidades. E, mesmo assim, você foi embora também. Agora, uns dois meses depois disso ter acontecido, já tem outra. E eu quero me trancar no quarto e chorar horas seguidas de novo, porque perdi você pela quarta vez. E chorar também porque na época em que você fazia questão de ficar, eu que fui embora. E eu me pergunto todos os dias como é que teria sido se eu não tivesse ido. Se você ainda estaria aqui, ou se teria ido embora do mesmo jeito, porque eu só sei errar… Droga, eu não queria ter que desistir de você. Eu não sei fazer isso. Tentei evitar o quanto pude, mas agora essa é a única saída, de certa forma. E eu não posso mais me segurar na gente. Não aguento mais. Não consigo mais. Eu sou fraca, desculpa. Era você quem me fazia forte, mas você não está aqui agora. Eu só queria que as lembranças me deixassem. Mas seus fantasmas estão em todos os lugares e eu não descobri como mandá-los embora ou se tenho forças para fazer isso… Só espero que um dia eu consiga ficar bem de verdade, mesmo que você não faça parte disso como eu esperava.

Nenhum comentário:

Postar um comentário