quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Ah, se eu tivesse coragem para te ligar e te dizer....

“Oi, por favor, não desliga, não estou ligando para dizer que tudo foi culpa sua, apenas me escuta, é importante o que eu tenho pra falar, eu não aguentava mais guardar isso dentro de mim… Eu prometi para mim mesma que não ligaria, mas você sabe que o meu orgulho não dura muito quando você não vem atrás de mim, não é? Liguei para te dizer que eu ainda sinto a sua falta. Liguei pra te contar que meu coração dói toda vez que eu lembro do jeito que você costumava me abraçar. Eu sei que eu não deveria pensar em nada disso, mas eu não escolho… Se bem que você sabe que eu nunca quis precisar deixar que tudo isso fosse embora, mas eu fui obrigada a fazer isso (por sua culpa, mas eu realmente não liguei pra te culpar). Ai, desculpe-me por estar chorando agora, é que eu não sei falar sobre nós dois sem acabar chorando. É que eu não consigo te esquecer, e não te ter aqui dói, entende? Aí eu me pego lembrando de tudo isso, de tudo o que você era pra mim e sentindo tanta falta, mas ao mesmo tempo me sentindo idiota, sem saber se você se lembra de alguma coisa, porque eu nem sei o que eu fui pra você, aliás, se eu realmente signifiquei alguma coisa, mas eu realmente espero que sim, porque naquele 3 de julho eu vi nos teus olhos que eu era alguma coisa, mesmo sem saber o quê, eu sabia que era, e os teus olhos não mentem, meu bem, nem mesmo agora que você tenta esconder que esse amor também continua aí, no teu peito… E é um dos motivos por eu te ligar. É que eu não tenho mais estrutura para fingir que não dói, e você consegue fazer isso, tão perfeitamente que eu já cheguei a pensar que eu estava te amando sozinha, se não fosse o teu olhar. E eu ando percebendo que o senhor não anda se cuidando direito. Eu sei que estou longe, que não posso cuidar de você, e é justamente por isso que você precisa se cuidar. Por favor, se cuida?! Mas… Eu só te liguei pra me despedir de vez, sabe? Quer dizer, eu sei que nós acabamos faz tempo, mas eu sempre me perguntava porque é que nós não pudemos ter tido pelo menos uma despedida, pra eu falar que te amo pela última vez… Então, eu te amo. De verdade. Acho que pra sempre, não sei. Bem, agora vou deixar você em paz. Me desculpe por te ligar, mas é que eu precisava mesmo falar tudo isso. Mais uma vez, eu te amo… E se cuida, por favor.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário