domingo, 9 de outubro de 2011

Para onde você foi?

Eu só esperava que fosse mais fácil. Eu só esperava ter me acostumado, depois de tantas despedidas na minha vida. Eu só esperava que não doesse tanto. Eu esperava qualquer coisa, só não esperava que você fosse embora. Você não podia ter ido embora, e você foi. Você prometeu que não ia deixar que nós nos perdessemos, e olha só o que aconteceu. E eu não posso berrar com você, dizer que a culpa foi sua, porque você vai fingir não dar a mínima. Por que fingir tanto? Por quê? Justo você, meu amor, justo você… Eu vivo de saudade. E essa saudade dói tanto, tanto, e me invade cada vez mais… Eu não consigo aceitar que você foi embora, não consigo. Não tenho forças para convencer o meu coração de que você não vai voltar. Queria descobrir aonde estava o erro. Queria que você dissesse porque foi se afastando tanto, até se distanciar de vez de mim. Eu sei que eu pareço estar tocando a minha vida. Eu sei que eu pareço feliz nos braços dele, eu sei. Mas quando ele vai embora, percebo que eu, principalmente sozinha, sou tua. Totalmente e inutilmente tua. E aí você me olha por meio segundo, e mesmo desviando o olhar, eu percebo que você também é meu. Então, me diz: Por que isso não foi o suficiente? Nós tínhamos tudo para dar certo, você sabe disso. Eu não estava preparada para te ver se perdendo em você mesmo sem nem sequer tentar voltar, sem querer voltar — talvez, sem nem saber que você deve voltar, que esse é o caminho errado. E não poder desfazer esse nó que nós viramos me machuca. Eu realmente gostaria que nós ainda tivéssemos jeito, mas eu nem te conheço mais… Não sei quem é você. O meu menino se perdeu aí dentro e, pelo visto, dependendendo de ti, não vai voltar. Eu sinto falta de quando eu fazia parte da sua vida, não do seu coração que você insiste em esconder, me obrigando a fazer o mesmo. Me obrigando a fingir estar convencida de que estou feliz em outros braços, quando só os seus me fazem felizes de verdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário