domingo, 27 de novembro de 2011

Diálogos imaginários.

— Ei, como vão as coisas por aí?
— Ah, vão indo… E por aí?
— Também. Indo como?
— Ah, sei lá… Só indo. Seria mentira se eu dissesse que estava indo tudo uma merd… — Suspirou. — Ok, tudo anda uma merda. Mesmo. Tudo começou a desabar depois que você foi embora. Não é exagero. É só que… Eu não tô sabendo lidar com tudo isso sem você aqui. Quando você tava aqui eu transbordava felicidade, bem, você sabe disso, todo mundo sabe. Todo mundo via. Mas agora eu mal consigo dar um meio-sorriso… Tá certo, você me vê gargalhar. Várias vezes. Mas não é do fundo do coração. É só que eu tento pelo menos parecer bem sem você, mas nem sempre dá certo. Às vezes até engano algumas pessoas, sabe? Mas o meu coração eu não consigo enganar. E se eu não consigo enganá-lo, não consigo gargalhar de verdade. Tentei parecer feliz, tentei ser forte, sério, tentei mesmo, mas porra, não dá. Dói. Não tenho vontade de sorrir, gargalhar ou de dar um meio-sorriso. Não que eu não queira ser feliz, não é isso. Mas a felicidade não é feliz sem você aqui. Tudo sem você é triste. Tenho vontade de chorar o dia todo e, na verdade, só não o faço porque não tenho mais lágrimas e ultimamente ninguém anda me deixando sozinha porque sabe que eu posso desabar em lágrimas a qualquer momento. E falando tudo isso pra você eu estou sendo mais fraca ainda, porque você não precisa saber, mas e daí? Eu não ligo. Não tenho nada a perder, afinal, já perdi você. Quer dizer, eu realmente perdi você? Eu só queria você aqui de novo, mas parece que ter você não é possível. E… Eu não entendo, sabe? Não entendo você. E pelo visto, você também não anda se entendendo. Disse que gosta de mim. Mas você também disse que tava confuso. E você não tem noção do quanto doeu ouvir isso. Se eu fosse… Sei lá, se eu fosse “menos eu”, você teria certeza do que sente. Se eu não tivesse errado daquela vez, nada disso teria acontecido. E eu sei que você não tem culpa. É tudo culpa minha… Eu sou errada demais. E infelizmente ninguém tem a obrigação de suportar meus erros, ainda mais quando nem eu mesma consigo fazê-lo. Mas eu também não tenho culpa… Não consigo mudar. E eu só queria descobrir uma coisa… Se você gosta de mim, por que não tá aqui do meu lado?

Nenhum comentário:

Postar um comentário