terça-feira, 15 de novembro de 2011

Será que você volta?


E aí você foi embora. Do nada, sem motivo nenhum. Disse que não me amava mais da mesma forma. Eu fiquei sem entender... No dia anterior estava tudo bem. Ou era eu quem não via? Ou era o amor que não me deixava ver? Ah, sei lá, meu bem... Sei lá. Não sei de mais nada depois que você foi embora. Só sei que eu não queria que você o fizesse, eu não esperava que você o fizesse. Será que você volta? Fico me perguntando isso desde o minuto em que eu li aquela maldita mensagem. Eu me perco sem você aqui. Eu estava tão acostumada a ter você, o teu carinho, sentir que você precisa de mim... E, pelo visto, não precisa nada. Chorei. Chorei quatro horas seguidas por causa disso. Fiquei com dor de cabeça e ânsia depois. E me dá vontade de chorar toda vez que eu me lembro de você. Ou seja, eu tenho vontade de chorar o tempo todo. Queria poder dormir pra ver se você sai da minha mente um pouco, mas nem assim: Você invade também os meus sonhos. E aí eu acordo pior por saber que antes não era só um sonho. Eu tinha você aqui. E agora não tenho mais. Por culpa minha. Eu nunca vou ser o suficiente... Estou começando a me conformar com isso. Ainda acho injusto, mas mesmo assim. Realmente, nada disso foi justo. Você veio, me fez sorrir e depois me deixou chorando. Por quatro horas seguidas. E ainda tenho vontade de chorar. Queria poder ficar com raiva de você. Mas nem isso eu posso, porque você não tem culpa. Nem eu tenho culpa de ser um fiasco. Eu não posso fazer nada a não ser chorar ou fingir que estou feliz para ver se você sente a minha falta e vem atrás. Sinto muito por isso. Não, eu realmente sinto muito. Muito mesmo. Muito amor, muita dor, muita decepção... E eu fico aqui, só esperando você voltar. Talvez seja ridículo, mas eu não ligo. O próprio mundo ficou ridículo depois que você foi embora. Perdeu o brilho e ficou vazio, assim como o meu olhar. E quando você estava aqui, tudo era tão lindo... Tão suave. Eu me sentia assim: Leve. Parecia que eu flutuava de tanta felicidade... E agora eu estou no chão. Sem forças para levantar. Nem vontade. Só queria você aqui. Ficar em pé pra quê, se você não vai estar ao meu lado? Tenho vontade de pegar o meu cobertor, me encolher em algum canto e ficar lá, sozinha, mas segurando o celular, claro. Esperando que você mande uma mensagem ou ligue ou qualquer outra coisa, mas que dê um jeito de me procurar e dizer que sente a minha falta e que me quer de volta. Espero porque eu te amo, e não há nada mais justo do que você me amar de volta, não acha? Mas... Será que você volta? Bem, eu sei lá. De qualquer forma, estou esperando, viu? Não me decepcione, por favor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário