quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Ainda sou sua.

O amor que eu sinto por você é ridículo. A última vez que nos falamos foi há quase dois meses, quando você terminou comigo. Mesmo sem contato nenhum, eu não consigo esquecer você. Um mês depois do nosso término, já havia outra em meu lugar. Havia outra em seus braços. E eu chorei. Chorei porque não era justo. Chorei porque você provavelmente era dela. Chorei porque não tinha chance nenhuma de você ainda ser meu. Mas, depois de algumas horas, parei de chorar. Parei de chorar porque vi que esse amor é tão ridículo quanto você, e prometi que nunca mais choraria por você. E cumpri a minha promessa... Desde aquele dia, nenhuma lágrima foi derramada por você. O problema é que, infelizmente, isso não significa nada. Porque eu ainda sinto dor, ainda lembro, ainda amo. Mesmo sabendo que esse amor é ridículo, ele não vai embora. E fico procurando saber da sua vida, mas nunca sei direito o que está acontecendo, não tem jeito. Esses dias, fiquei sabendo que você não está mais com ela. E continuou doendo. É que você estar ou não com alguém também não muda nada. Sozinho ou não, você não pode ser meu de novo. E eu aprendi a aceitar isso... Mas apesar de não esperar você voltar, ainda sou sua. E ninguém nunca vai saber disso, muito menos você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário