sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Diga que ainda me ama... Por favor.

Sabe o que é? É que eu tô mal. Tô mal mesmo. Eu queria você aqui, droga. Tentei mentir para mim mesma que não me importava tanto contigo, mas não adiantou nada… Eu me importo com você mais do que me importo comigo. E te ver longe assim dá uma pontada no peito, sabe? Aliás, uma não. Duas, três, quatro, cinco pontadas… Não para de doer. Você era o antídoto da minha dor, lembra? Mas agora é você quem está a causando. Por que você teve que complicar tudo? Tudo seria tão mais fácil assim, você sabe disso. E você sabe que eu odeio as suas contradições, mas também sabe que eu seria capaz de aceitá-las para ficar ao seu lado. Você mentiu quando disse que se importava? Porque é isso que parece. Mas eu pensei que você estivesse falando sério quando disse que não sabia ficar bem sem mim. E você está ótimo, não está? Ou você finge tão bem quanto eu? Se está bem, eu fico feliz por você. Quero dizer, é claro que eu queria que você sentisse a minha falta. Mas se você está sorrindo, então eu posso sorrir também. Mesmo que seja um sorriso em meio à inúmeras lágrimas, ele sempre vai aparecer quando o seu sorriso vier á minha cabeça. Eu queria que você me puxasse pelo braço e pedisse pra eu voltar. Queria que me dissesse que não é nada sem mim. Eu sei que você me deixou chateada com o que fez. Mas ficar longe de você só me deixa pior. Mas por que você não me pediu pra ficar, como sempre fazia quando eu ameaçava ir embora? Pareceu que você nem se importou. Pareceu que eu não fazia diferença na sua vida. E você não sabe o quanto isso doeu. E você não sabe o quanto ainda dói. Me diga, a minha ausência também te machuca? Eu nunca pensei que você fosse me dar motivos para ir embora. Eu nunca pensei que você me deixasse ir embora. Eu ainda tô esperando você dizer que ainda me ama. E eu também tô super chateada com o fato de você não ter feito isso ainda. Por que você aceitou que eu fosse embora? Por quê? Isso me matou por dentro. Só Deus sabe em quantos pedaços meu coração ficou. Mesmo que eu tenha escondido isso. Você sabe que eu sempre escondo as minhas dores, não sabe? E, mesmo assim, você conseguia perceber que elas estavam assim. Mas e agora, você consegue ver o quanto faz falta? Consegue ver que eu não quero desistir de nós? Então, por favor, não me obrigue a fazer isso. Por favor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário