domingo, 11 de setembro de 2011

Ah, querido, por que você me fez ir?

Ah, é uma pena eu ter que ir embora desse jeito… Ter que deixar você, ter que desistir de nós. Mas você me obrigou a fazer isso… E o pior é saber que eu consigo. Eu consigo e vou desistir de tudo. Mas uma pontadinha de dor sempre aparece nas despedidas, não é? E o pior é que nós nem sequer tivemos uma. Você foi se afastando aos poucos, e quando eu percebi, não podia fazer mais nada… Nem mesmo um beijo de despedida. Ah, eu gostaria tanto que você me beijasse, para eu sentir aquela sensação de embriaguez e felicidade que você me causava pela pela última vez… Mas nada. Você simplesmente se foi. E agora eu estou indo também… Ah, eu não queria ter descoberto esse teu lado imaturo e estúpido. Ah, meu amor, deixe-me te chamar assim pela última vez. Eu não queria que tudo acabasse desse jeito, mas eu não tive escolha. Você colocou um ponto final sem me consultar. E eu até consegui transformar o ponto final em um ponto, para acrescentar mais frases na nossa história, mas agora estou sendo obrigada a transformá-lo em final de novo. Porque essas frases só existiam aqui, na minha cabeça. Ah, meu amor, me leve de volta ao começo de tudo. Me leve de volta ao tempo em que nós estávamos descobrindo a paixão… Me leve de volta ao tempo em que ficávamos trocando mensagens até de madrugada. Me leve de volta aos beijos, aos sorrisos, aos carinhos… Eu prometi que não choraria, meu amor… Mas é tão inevitável! É mesmo uma pena nós nos perdermos assim… Eu estou tão frustrada, porque eu realmente pensei que nós pudéssemos dar certo. E eu sei que, se eu quisesse, não ligaria para o fim… Mas eu queria poder insistir. Eu queria que você ainda quisesse insistir, meu amor… Mas você não quis. E agora eu fico aqui, perseguindo o passado, tentando fugir do futuro se ele não for ao teu lado… Eu queria que tudo pudesse ser como era antes. Mas não pode, não pode… O que eu fiz de errado, meu anjo? O que eu fiz para você desistir? Qual foi o meu erro, desta vez? Ah, eu cansei de ser tão errada… Eu queria que você continuasse me concertando. Mas você não quer, e é tão difícil aceitar isso… Eu já tinha imaginado que as tuas promessas tinham data de validade, mas eu não sabia que ela era tão curta assim. Eu sabia que o fim ia chegar algum dia, porque eu sei que nada é para sempre, mas por que precisava acabar tão rápido? Eu gostaria, do fundo do meu coração, desejar que você fosse feliz, mas eu também não posso, porque eu também gostaria, do fundo do meu coração, que você fosse feliz comigo… E eu ainda não estou preparada para aceitar que não vai ser mais assim. Se eu quisesse ser uma garota forte, eu seria e deixaria você ir sem nem sentir a tua partida… Mas eu vivo correndo para o passado por escolha própria. Não gosto quando histórias que tinham tudo para ser eternamente lindas acabam tendo um final trágico. E isso é tão trágico pra mim, e mais trágico ainda saber que nada disso é trágico para você… Porque você está indo embora sem olhar para trás, e eu deveria assistir você ir embora sem olhar para trás também, mas eu não quero… Hoje, meu menino, vou lamentar a tua partida. Amanhã, pode deixar que amanhã eu serei a garota forte de sempre. Mas hoje não… Hoje eu preciso chorar, para poder sorrir amanhã. E pela última vez, quero que você saiba que eu sinto muito, meu amor… Mas amanhã, você vai saber que eu não sentirei mais nada. Boa sorte, meu menino. Quem sabe os nossos caminhos ainda se cruzem e a nossa história tenha uma continuação. Quem sabe… Eu te amo, meu menino. E esse amor vai me acompanhar para sempre, embora eu não deixe ele me vencer. Então, por favor, não mata esse restinho de paixão que você guarda aí dentro. É só o que eu peço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário